domingo, 31 de janeiro de 2010


"Piotr não tinha mais acessos de desespero, de hipocondria, de desgosto pela vida, mas não deixava de se perguntar com angústia, várias vezes ao dia: 'Por quê? Para quê?'. E, sabendo que não havia resposta a essas questões existenciais, distraía o pensamento com a leitura ou os amigos.
'Helena, que é uma perfeita tola, aparece aos olhos das pessoas como um prodígio de inteligência. Enquanto era um grande homem, Napoleão foi desprezado por todos; agora que se tornou um pateta, o imperador Francisco lhe ofereceu a filha como amante. Meus irmãos maçons juram sobre o próprio sangue que estão prontos a qualquer sacrifício pelo próximo, mas não contribuem com um rublo sequer na coleta para os pobres. Todos nós, cristãos, adotamos a lei do amor ao próximo, e ontem um soldado que desertou foi chicoteado até a morte.'
A cada vez que fazia um balanço da vida, a hipocrisia geral, aceita por todos, o surpreendia como se fosse uma coisa nova. Para ele, o mal e a mentira contaminavam todo tipo de atividade. E no entanto era preciso viver, era preciso estar ocupado."

*Trecho de "Guerra e paz" de Liev Tolstói

terça-feira, 26 de janeiro de 2010

Revolução da Alma (Aristóteles)



Ninguém é dono da sua felicidade, por isso não entregue sua alegria, sua paz, sua vida nas mãos de ninguém, absolutamente ninguém.
Somos livres, não pertencemos a ninguém e não podemos querer ser donos dos desejos, da vontade ou dos sonhos de quem quer que seja.
A razão da sua vida é você mesmo.
A tua paz interior é a tua meta de vida.
Quando sentires um vazio na alma, quando acreditares que ainda está faltando algo, mesmo tendo tudo, remete teu pensamento para os teus desejos mais íntimo se busque a divindade que existe em você.
Pare de colocar sua felicidade cada dia mais distante de você...
Não coloque objetivos longe demais de suas mãos, abrace os que estão ao seu alcance hoje.
Se andas desesperado por problemas financeiros, amorosos ou de relacionamentos familiares, busca em teu interior a resposta para acalmar-te, você é reflexo do que pensa diariamente.
Com um sorriso no rosto as pessoas terão as melhores impressões de você, e você estará afirmando para você mesmo, que está "pronto" para ser feliz.
Trabalhe, trabalhe muito a seu favor.
Pare de esperar a felicidade sem esforços.
Pare de exigir das pessoas aquilo que nem você conquistou ainda.
Critique menos, trabalhe mais.
E, não se esqueça nunca de agradecer.
Agradeça tudo que está em sua vida nesse momento, inclusive a dor.
Nossa compreensão do universo, ainda é muito pequena para julgar o que quer que seja na nossa vida.
Por fim, acredite que não estaremos sozinhos em nossas caminhadas, um instante sequer... Se nossos passos forem dados em busca de justiça e igualdade!
‘A grandeza não consiste em receber honras, mas em merecê-las.’

segunda-feira, 25 de janeiro de 2010


Ao se aproximar do aparato na varanda, ela sentiu a chuva que, como ela dizia, a perseguia.
E quando lá permaneceu por alguns minutos, a chuva apressou seu passo, vinha forte como quisesse lavar tudo.
A reflexão sobre sua vida a fez chorar mesmo antes daquela chuva chegar.
E ao som de uma canção, que ela tinha há muito em sua vida,
já não se sabia o que era lágrima ou chuva...

sábado, 23 de janeiro de 2010


"Sim, a vela que, na infância, arde no bolo de aniversário é a mesma que enfeita o caixão. A vida passa; escrevendo, ou fazendo medicina, ou formando uma família, ou militando politicamente, ou trabalhando, ou bebendo- a vida passa. Chega um momento em que tudo que esperamos das velinhas é que iluminem, com sua tênue luz, o nosso passado e nos permitam extrair alguma conclusão de nossas trajetórias."

Moacyr Scliar

quinta-feira, 21 de janeiro de 2010



"Morrem quatro por minuto
nesta América Latina.
Não conto os que morrem velhos,
só os que a fome extermina.
Não conto os mortos de faca
nem os mortos de polícia,
conto os que morrem de febre
e os que morrem de tísica.
Conto os que morrem de bouba,
de tifo, de verminose(...)
Mas todos estes defuntos
morrem de fato é de fome
quer a chamemos de febre
ou de qualquer outro nome."

Ferreira Gullar