terça-feira, 30 de novembro de 2010

Primavera

Corpo e alma, tudo dói.




M-tem um sonhu
Um sonhu grandi
Reidi bunitu
Xeiu di lus ♪


Larissa

sexta-feira, 26 de novembro de 2010

Primavera

"Espírito Santo, repousa sobre nós!"


    É sempre assim. Em todas as outras vezes foi assim. Mas agora é diferente. Tudo está diferente, a alma, o céu, o sol, a relação com Deus, a percepção do que realmente importa. Demorei um pouco pra perceber certas coisas da minha fé, mas como tudo que é de Deus, veio na hora certa. Extraordinariamente sentido, absolutamente dentro do meu coração, intimamente me falando, está o Espírito de Deus. Ele está comigo e me conforta, me acolhe, me guia, me leva a entender e a suportar tudo. Agora eu sei o que é esperar em Deus, eu entendi, e me sinto muito feliz por isso. Há muito ainda a ser mudado em mim, e a mudar nos que me rodeiam, mas sentir o amor de Deus todos os dias foi a maior descoberta que eu já fiz, e a melhor, com certeza.
 

Larissa

quinta-feira, 11 de novembro de 2010

Primavera

   Disse, certa vez, o escritor Lima Barreto: "O Brasil não tem povo, tem público", e é isso que exprime a realidade da falta de engajamento social e político dos cidadãos brasileiros. Reclusos em suas indignações, esse  povo não se manifesta frente aos muitos escândalos que acontecem no país.
    Ética e moral são elementos básicos para a formação de um cidadão, as quais florescem em cada um a partir da educação que lhes é oferecida; tanto em casa, com a família; como no convívio do ambiente escolar. E se todos devem aprender sobre ética, devem também aprender a cobrá-la dos governantes e de todos os que os rodeiam.
   Se retomarmos ao nosso passado, veremos, então, que essa acomodação já se tornou um aspecto da nossa cultura, o qual pode ainda ser mudado. As novas gerações não devem continuar alheias às mudanças que ocorrem, devem buscar exemplos no passado e ver que o futuro pode ser diferente, Pois, a nossa história está cheia deles, como a "independência" ou a proclamação da República, fatos que ocorreram sem a participação popular.
   Então, quando tornarmos públicas nossas indignações e tirarmos do esconderijo de nossas casas o tom de protesto que possa nos "inflamar", estaremos prontos a lutar pelo fim da corrupção em nosso país. Porque não devemos desistir de mudá-lo, mesmo que pareça impossível.

Larissa