quinta-feira, 25 de agosto de 2011

Inverno

E um dia, lá na frente,
 contigo ou sem ti,
 vou lembrar,
 perfeitamente,
 que nunca te esqueci...(*)

L.T


domingo, 21 de agosto de 2011

Inverno

                                 DAS UTOPIAS

   Se as coisas são inatingíveis...ora!
   Não é motivo para não querê-las...
   Que tristes os caminhos, se não fora
   A mágica presença das estrelas!

                                            Mario Quintana




* E o que é impossível para Deus? Fazemos tanto caso de coisas pequenas que nos esquecemos de nossos sonhos de verdade... É tão difícil assim concretizá-los, vivê-los? Não importa quanto tempo passe, quantos caminhos se percorra, eles serão muito mais especiais se forem seguidos pelo desejo mais profundo de uma alma sonhadora! Não há melhor forma de se viver do que buscando um sonho, daqueles que fazem o coração arder de vontade de realizá-los... não há melhor maneira de burlar a feiúra deste mundo. Se nos preocupamos com nossos sonhos, devemos também buscar a generosidade de ajudar os outros a conquistar os seus próprios anseios. Para sermos felizes devemos buscar sempre fazer os outros felizes, mesmo que o mundo te coloque obstáculos para isso... Enquanto caminham lado a lado, sonho e fé, nada mais importa.  L.T

   

sexta-feira, 19 de agosto de 2011

Inverno

Faz tempo que o tempo me engana com coisas tolas, palavras tolas, desculpas armadas... Faz tempo que o tempo me presenteia com consolos e me anima em uns momentos de luz. Mas eu preciso desse tempo para compreender os mistérios deste destino, que não me dá tempo, que me diz que o mesmo não existe. Já disse e repito: Não há tempo. Ou há, e isso realmente só está passando AGORA... A cada dia eu chego mais perto de quebrar o misticismo substituível, estou conseguindo decifrar; mas sei, também, que isso deve ser guardado comigo. Raros são os que compreendem o tempo e seus trejeitos, estamos atentos e ficaremos assim, amigos*!

domingo, 14 de agosto de 2011

Inverno

                               DOS NOSSOS MALES

   A nós nos bastem nossos próprios ais.
   Que a ninguém sua cruz é pequenina.
   Por pior que seja a situação da China,
   Os nossos calos doem muito mais...

                                     Mario Quintana



* O mistério que nos cerca é o da própria vida. Estando aqui neste momento, esperando o caminhar do meu futuro, faço minhas as palavras de Quintana, mas digo a todos de uma forma que talvez seja espantosa... Na verdade, nossos pequenos problemas sempre parecem maiores que os dos outros, damos a eles dimensões grandiosas, enquanto esquecemos que há outros tantos com necessidades primárias no mundo. Neste dia dos pais, peço a Deus que conforte e acolha todos os pais e filhos que passam por dificuldades diversas, que os nossos pequenos problemas nos deem ânimo para fazer o melhor para os outros e para nós mesmos, porque o Pai de todos nós está nos guardando, Ele nos faz mais fortes, mais generosos e humanos. Que Deus cubra de bênçãos as nossas vidas, Amém.

sexta-feira, 5 de agosto de 2011

Inverno

   Pensar levou o homem a deixar de lado o seu primitivismo e entender que quanto mais a população aumentava, mais se precisava de um modo justo de tornar a sociedade formada, muitos anos antes, mais igualitária.
   Alguns pensadores dedicaram algo de sua filosofia para a política e com ela abriram o pensar filosófico para a questão da melhor forma de governo; a interação da política com a filosofia na Grécia Antiga guiou os rumos da democracia ateniense.
   Apesar de ser aceita como a melhor forma de governo do nosso tempo, a democracia não foi o ideal na concepção de Aristóteles. Para o filósofo grego, do qual veio a obra "Política", o ideal de governo seria a Politheia(governo de todos para todos), pois na democracia uns poucos oprimem outros.
   O certo é que a filosofia foi crucial para os debates acerca dessa forma de organizar o Estado e também para o seu funcionamento em Atenas. Hoje, ela não usa mais o recurso do pensar e está longe da igualdade entre as classes. O processo democrático expressa exatamente as falhas que Aristóteles citou, com o agravante de que na nossa democracia os que têm o poder estão longe do ideal grego.

Larissa T.