sexta-feira, 19 de agosto de 2011

Inverno

Faz tempo que o tempo me engana com coisas tolas, palavras tolas, desculpas armadas... Faz tempo que o tempo me presenteia com consolos e me anima em uns momentos de luz. Mas eu preciso desse tempo para compreender os mistérios deste destino, que não me dá tempo, que me diz que o mesmo não existe. Já disse e repito: Não há tempo. Ou há, e isso realmente só está passando AGORA... A cada dia eu chego mais perto de quebrar o misticismo substituível, estou conseguindo decifrar; mas sei, também, que isso deve ser guardado comigo. Raros são os que compreendem o tempo e seus trejeitos, estamos atentos e ficaremos assim, amigos*!

Nenhum comentário: